A Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) é considerada uma das principais perturbações de desenvolvimento infantil. Envolve um comprometimento neurocomportamental que se manifesta numa tríade sintomática: desatenção, hiperatividade e impulsividade.

A desatenção expressa-se através de comportamentos frequentes de desorganização, divagação e falta de persistência nas tarefas. A Hiperatividade manifesta-se sobretudo por comportamentos de intensa  atividade motora ou pelo conversar em excesso. E a impulsividade revela-se mediante ações precipitadas, desejo de recompensas imediatas ou incapacidade de adiar a gratificação.

O Manual de Diagnóstico e Estatístico de Perturbações Mentais- DSM-V (APA, 2013) apresenta os seguintes sintomas:

Desatenção:

  • dificuldade em manter a atenção em tarefas escolares ou outras atividades;
  • não prestar atenção aos detalhes ou cometer erros por descuido em tarefas escolares ou outras;
  • parecer não escutar quando alguém lhe dirige a palavra diretamente;
  • não seguir instruções até o fim e não conseguir terminar tarefas ou trabalhos escolares;
  • dificuldade na organização de tarefas e atividades (e.g. manter objetos pessoais em ordem, gerir o tempo, cumprir prazos);
  • evitamento de tarefas que exijam esforço mental prolongado;
  • perder o material necessárias para as tarefas ou atividades;
  • distração fácil por estímulos externos;
  • esquecimento da realização das tarefas e atividades quotidianas.

hiperatividade- implusividade:

  • mover ou remexer as mãos ou os pés ou agitar-se na cadeira constantemente;
  • levantar-se da cadeira em situações em que se espera que permaneça sentado;
  • correr ou subir para coisas em situações em que é inapropriado fazê-lo;
  • dificuldade em brincar ou se envolver calmamente em atividade de lazer;
  • dificuldade em estar parado;
  • falar em excesso;
  • dar respostas precipitadas antes da conclusão da pergunta ou termina as frases dos outros;
  • dificuldade de esperar pela sua vez;
  • interromper ou intrometer-se em conversas, assuntos ou atividades de outras pessoas ou começar a usar coisas de outras pessoas sem pedir permissão.

Esta sintomatologia manifesta-se antes dos 12 anos de idade e ocorre em dois ou mais ambientes (p. ex. em casa, na escola). É de salientar que não obstante a maioria destas crianças apresentar sintomas quer de desatenção quer de hiperatividade-impulsividade, há casos em que se observa o predomínio de um dos padrões. Contudo, é importante distinguir comportamentos que advêm do natural desenvolvimento da criança ou do seu temperamento desta perturbação

Sabe-se que a sintomatologia da PHDA prejudica a qualidade de vida destas crianças.  São comuns as dificuldades de relacionamento com a família, colegas e professores com consequências nefastas para o aproveitamento escolar e bem-estar da criança.  Frequentemente estas crianças tem baixo rendimento escolar, poucos elogios e muitas repreensões, o que leva a que experienciem regularmente sentimentos de baixa auto-estima, desvalorização, baixo auto-controlo, rejeição e isolamento social.

Dado o impacto negativo destes sintomas no funcionamento social, familiar e académico, é aconselhável uma intervenção precoce e ajustada a cada criança com PHDA.

Nós acreditamos que podemos ajudar. Acredite também.

 

 

 

 

 

 

Últimos artigos

Emoções na Infância – Como Ajudar o Seu Filho – Crónica Revista Vip

Isabel Cardoso Costa Psicóloga Clínica/Psicoterapeuta- Adultos, Crianças e Adolescentes  

A brincar o mundo pula e avança – Uma visão da Pedopsiquiatria

“Aquilo que há em nós de criativo é infantil, ou vem da infância, é aquilo que fica vivo da infância, […]

Agitação Psicomotora ou Hiperactividade, o que é? A visão da Psicomotricidade

O corpo que não pára.   Nos últimos anos tem sido cada vez mais frequente falar-se de crianças com hiperatividade […]