Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica em Crianças e Adolescentes

a) Avaliação Neuropsicológica

Avaliação neuropsicológica da criança e do adolescente é o processo de exploração e identificação das relações entre a atividade cerebral, a cognição e o comportamento, tendo em conta a etapa desenvolvimentista e contextual onde o individuo se posiciona.
É o processo de avaliação compreensiva baseado na análise funcional dos processos neurocognitivos, como atenção, perceção, memória, pensamento, linguagem, funções executivas e cognição social, assim como nos seus impactos na funcionalidade e atividade psicológica e comportamental da criança ou adolescente.

Entende-se que as alterações cognitivas, comportamentais e emocionais variam em função da natureza, extensão e localização da lesão cerebral, sendo influenciadas pela idade, gênero, condições físicas e contexto psicossocial de desenvolvimento.
Face às suspeitas de problemas escolares, adaptação e comportamento, a avaliação neuropsicológica é indicada para ajudar a despistar causas neurológicas subjacentes às dificuldades da criança e adolescente.

A avaliação neuropsicológica realiza-se fundamentalmente através de uma entrevista clínica detalhada, aplicação de tarefas e/ou questionários validados e observação, resultando na elaboração de um relatório. Nesse relatório são descritas as valências e dificuldades encontradas. Pode também ser descrito em termos gerais o plano de reabilitação neuropsicológico.

Em crianças e adolescentes, a avaliação neuropsicológica está recomendada nos seguintes quadros clínicos, mas não se encontra restrita aos mesmos:

a) Hiperatividade com e sem défice de atenção
b) Autismo e Asperger
c) Dificuldades de aprendizagem (dislexia, discalculia, disortografia)
d) Impulsividade e problemas de comportamento
e) Défice intelectual
f) Atraso de desenvolvimento
g) Tiques ou Tourette
h) Neurocirurgia e/ou tumor infantil
i) Epilepsia
j) Alterações metabólicas, genéticas e/ou endócrinas
k) Infeções do sistema nervoso (encefalites e meningites)
l) Hidrocefalia
b) Reabilitação Neuropsicológica

A reabilitação neuropsicológica é o processo em que se procura intervir concretamente nas dificuldades neurocognitivas e comportamentais em crianças e adolescentes com comprometimento cerebral.
Enquadrada nos resultados provenientes da avaliação neuropsicológica prévia, a reabilitação neuropsicológica posiciona-se no interior da esfera da capacidade real e a zona de desenvolvimento potencial da criança e adolescente. Assim, procura-se não só consolidar as capacidades já adquiridas, mas também propiciar o contexto para o surgimento de novas capacidades, por forma a assegurar a normalização da sua trajetória de desenvolvimento.

Tipicamente procura-se assegurar a autonomia e socialização, estimular e/ou reabilitar as funções neurocognitivas, promover o desenvolvimento de competências e elaborar um plano e projeto de vida enquadrado nas características da criança e adolescente.

Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica em Adultos e Idosos

Avaliação Neuropsicológica

Avaliação neuropsicológica do adulto e do idoso é o processo de exploração e identificação das relações entre a atividade cerebral, a cognição e o comportamento, tendo em conta as características individuais e a etapa de vida.
É o processo de avaliação compreensiva baseado na análise funcional dos processos neurocognitivos, como atenção, perceção, memória, pensamento, linguagem, funções executivas e cognição social, assim como nos seus impactos na funcionalidade e atividade psicológica e comportamental do adulto e do idoso.
Entende-se que as alterações cognitivas, comportamentais e emocionais variam em função da natureza, extensão e localização da lesão cerebral, sendo influenciadas pela idade, gênero, condições físicas, profissão e contexto psicossocial.
Existe a necessidade de diferenciar as alterações neurocognitivas face ao processo de envelhecimento normal, em contraste com as alterações neurocognitivas do envelhecimento patológico. Assim, face às suspeitas de perda de capacidade e funcionalidade no dia-a-dia, avaliação neuropsicológica é indicada para o apoio no despiste de causas neurológicas subjacentes às dificuldades emergentes.
A avaliação neuropsicológica em adultos e idosos pode adquirir o formato de avaliação breve de rastreio das funções neurocognitivas. Pode também seguir um formato mais extenso e padronizado constituindo-se fundamentalmente através de uma entrevista clínica detalhada, aplicação de tarefas e/ou questionários validados e observação, resultando na elaboração de um relatório. No relatório são descritas as valências e dificuldades encontradas. Pode também ser descrito em termos gerais o plano de reabilitação neuropsicológico.

No que diz respeito ao adulto e idoso, a avaliação neuropsicológica está recomendada nos seguintes quadros clínicos, mas não se encontra restrita aos mesmos:

a) Acidente Vascular Cerebral (Isquémico e/ou hemorrágico)
b) Traumatismos Crânio-encefálicos
c) Demências (Alzheimer, Frontotemporal, Vascular, Parkinson, Corpos de Levy)
d) Alterações de humor e personalidade
e) Défice Cognitivo Ligeiro
f) Esclerose Múltipla e Esclerose Lateral Amiotrófica
g) Alterações metabólicas, genéticas e/ou endócrinas
h) Dificuldades de atenção, pensamento e memória
i) Défices neuropsicológicos por consumo de substâncias
j) Dificuldades de sono
k) Tumores cerebrais e infeções do sistema nervoso
Reabilitação Neuropsicológica

A reabilitação neuropsicológica é o processo em que se procura intervir concretamente nas dificuldades neurocognitivas e comportamentais em adultos e idosos com comprometimento cerebral.
Enquadrada nos resultados provenientes da avaliação neuropsicológica prévia, a reabilitação neuropsicológica posiciona-se no interior da esfera da capacidade real e a zona de potencial do adulto e/ou idoso. Assim, procura-se não só consolidar as capacidades adquiridas, mas também propiciar o contexto de recuperação, estimulação, compensação ou treino de capacidades neurocognitivas e assegurar a normalização da sua funcionalidade e atividades da vida diária.
Fundamentalmente, em função das particularidades de cada caso procura-se que o adulto e/ou idoso se torne progressivamente autónomo, capaz e funcional no sentido de encontrar o seu equilíbrio e bem-estar psicológico necessário para reencontrar o seu sentido de vida.

Últimos artigos

Emoções na Infância – Como Ajudar o Seu Filho – Crónica Revista Vip

Isabel Cardoso Costa Psicóloga Clínica/Psicoterapeuta- Adultos, Crianças e Adolescentes  

A brincar o mundo pula e avança – Uma visão da Pedopsiquiatria

“Aquilo que há em nós de criativo é infantil, ou vem da infância, é aquilo que fica vivo da infância, […]

Agitação Psicomotora ou Hiperactividade, o que é? A visão da Psicomotricidade

O corpo que não pára.   Nos últimos anos tem sido cada vez mais frequente falar-se de crianças com hiperatividade […]